Templo de A-Ma

O nome de Macau deriva de A-Ma-Gau ou Baía de A-Ma, datando este templo dedicado à deusa dos navegantes dos princípios do séc. XVI. conforme a lenda, os proprietários dos juncos recusaram a A-Ma, uma rapariga pobre, passagem para Cantão, tendo sido levada a bordo por um pobre pescador. Rebentou uma tempestade, tendo naufragado todos os barcos excepto o que transportava a rapariga.

Ao chegar a Macau, a rapariga desapareceu para reaparecer como deusa, no lugar em que os pescadores construíram o Templo.

Este é constituído por recintos de oração, pavilhões e pátios espalhados pelos rochedos da encosta e pequenos jardins. À entrada existe uma grande rocha em que está gravado um junco à vela tradicional. Noutros rochedos vêem-se gravações de caracteres vermelhos com invocação aos deuses ou orações.Três dos quatro pavihões estão dedicados a A-Ma, neles havendo algumas belas estátuas da deusa juntamente com um modelo de um junco com canhões, barcos de cobre e capelas a deuses budistas e taoístas. O altar principal é em honra de Kun Iam.

Este templo ostenta lindíssimos telhados tradicionais, oferecendovistas panorâmicas espectaculares a partir dos jardins superiores.

O festival de A-Ma realiza-se no 23º dia do 3º mês lunar (Abril ou Maio).